Instituto Kairós desenvolve “guia de ecoturismo e agroecologia no extremo sul de São Paulo”

Dentro do município de São Paulo, existe um lugar de onde pode se avistar o mar. Rios de águas limpas, cachoeiras, matas preservadas. Estradas sinuosas e estreitas levam a sítios onde se cultivam alimentos e flores. O guia “Ecoturismo e Agroecologia no Extremo Sul de São Paulo” é resultado da parceria e articulação entre a Prefeitura de São Paulo, por meio da São Paulo Turismo, e da Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA), e o Instituto Kairós-Ética e Atuação Responsável. Contou com o apoio de diversos parceiros tanto do poder público como da sociedade civil, que trabalham com a conservação ambiental, desenvolvimento sustentável, fomento ao ecoturismo e à agroecologia. O objetivo é apresentar como o município de São Paulo pode ser surpreendente. Mostra parte das riquezas da região Sul, sua biodiversidade, seu patrimônio histórico, a presença Guarani, as relações entre a arte, cultura e espiritualidade e a importância da agricultura na região. Esse material foi produzido com recursos da SPTuris e do Fundo Especial do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (FEMA) da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente através de projeto desenvolvido pelo Instituto Kairós-Ética e Atuação Responsável.

Disponibilizamos abaixo os links para download do material. Guia: Ecoturismo e agroecologia do extremo sul de São Paulo

Instituto Kairós e Capina promovem Oficina sobre Práticas de Comercialização.

No mês de Julho, o Instituto Kairós e a Capina realizarão a “OFICINA DE PRÁTICAS DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA” com apoio da Secretaria de Desenvolvimento Territorial do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SDT/MDA) e da Evangelischer Entwicklungsdienst (EED) – Serviço das Igrejas Evangélicas na Alemanha para o Desenvolvimento. A primeira edição desta Oficina foi realizada em São Paulo, em dezembro de 2011, e agora estão abertas as inscrições para novos participantes. A proposta da OFICINA é trabalhar questões sobre comercialização de produtos da agricultura familiar e economia popular solidária, em diálogo com a prática dos participantes, abordando os temas necessários e apresentando ferramentas para a realização das vendas e demais etapas da comercialização, de forma integrada aos elementos do comércio justo e solidário e do consumo responsável. A OFICINA é voltada para técnicos, formadores ou assessores de entidades que trabalhem com produtos da agricultura familiar e da economia popular solidária. O curso tem carga horária de 40 horas e será oferecido no período e local descritos abaixo: Período: de 02 a 06/07/2012 (a confirmar) Local: Colégio Assunção, Santa Teresa, Rio de Janeiro Os interessados devem enviar mensagem até o dia 30 de abril para i.kairos@yahoo.com.br, para que possamos dar sequência ao processo de inscrição. Aqueles que sinalizarem interesse receberão uma ficha de inscrição que deverá ser preenchida e entregue até o dia 07 de maio de 2012. O resultado da seleção dos participantes será divulgado em 15/05/2012. Em anexo mais informações sobre a Oficina. KAIROS CAPINA_ Oficina Comercialização

Materiais: Encontro dos Grupos de Consumo Responsável

Abaixo estão disponibilizadas as apresentações feitas ao longo do Encontro do Grupos de Consumo Responsável realizado em Parelheiros, São Paulo, em Agosto de 2011. 1o Dia: 28/08/2011 A. Identidade Abertura do Encontro Mesa/Debate: O Consumo Responsável e o Papel dos Grupos de Consumo na Sociedade 2o Dia: 29/08/2011 B. Gestão, Logística e Tecnologia da Informação Mesa: A tecnologia da informação como ferramenta de gestão dos grupos de consumo Relação entre as tecnologias da informação e as necessidades vivenciadas na gestão dos grupos de consumo responsável 3o Dia: 30/08/2011 C. Político/Estratégico Mesa: Educação e Comunicação para o Consumo Responsável

Como foi o encontro dos grupos de consumo responsável…

Nos dias 28 a 30 de agosto de 2011, aconteceu o Encontro dos Grupos de Consumo Responsável, em Parelheiros, no extremo sul da cidade de São Paulo. O encontro foi organizado pelo Instituto Kairós no âmbito do Projeto “Promoção do Consumo Responsável nos Territórios Rurais”, em parceria com a Secretari a de Desenvolvimento Territorial do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SDT/MDA), e promoveu o diálogo entre os Grupos de Consumo Responsável (GCRs) e integrantes da política de desenvolvimento territorial da SDT/MDA, tendo contado com aproximadamente 50 participantes vindos de 13 diferentes estados do Brasil. Participaram do encontro no Centro Paulus (centro de formação próximo a áreas de proteção ambiental da cidade): representantes de 13 Grupos de Consumo Responsável i de diversas regiões do país e integrantes da política de desenvolvimento territorial de São Paulo, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, dentre eles: ADEs ii, técnicos de BSCs iii, articulador re gional e parceiros iv. A partir do diálogo entre estes atores, o encontro buscou promover o reconhecimento dos sujeitos que atuam com consumo responsável, avançar na construção de uma identidade comum, avaliar as fragilidades e potencialidades das experiências e consolidar os consumidores organizados como atores políticos no movimento da economia solidária. As atividades contaram com o apoio de Grupos de Consumo Responsável – GCRs e parceiros envolvidos na construção da programação e tiveram início com a exposição da experiência dos diversos grupos presentes como uma “Feira dos Grupos de Consumo”, onde os participantes puderam conhecer e conversar sobre as diversas realidades dos grupos. Em seguida, na mesa de abertura, o Instituto Kairós trouxe o contexto da realização do  encontro e da região (Parelheiros) e suas experiências de agricultura familiar; e Miriam Langenbach (Rede Ecológica) deu as boas-vindas em nome dos Grupos de Consumo. A mesa seguinte sobre os GCRs e seu papel na sociedade abordou, de um lado, o estudo feito pelo Instituto Kairós sobre os GCRs no ano passado e, de outro, a apresentação da Política Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável e sua relação com a estratégia do consumo organizado, pelo articulador regional sul/sudeste Clóvis Lunardi. O segundo dia teve início com uma mesa sobre a tecnologia da informação como ferramenta de gestão para os GCRs e contou com as apresentações da experiência do SISCOS (experiência coordenada pelo Instituto Ouro Verde, BSC do Território do Portal da Amazônia – MT) e da construção participativa de uma ferramenta de gestão para GCRs que vem ocorrendo no último ano. Na atividade seguinte, os participantes  escolheram temas específicos para discutir em Grupos de Trabalhos e depois apresentar de volta ao coletivo, buscando entender os desafios da sustentabilidade dos GCRs. Os temas discutidos foram: (1) Identidade e papel político, (2) Produção, (3) Logística, (4) Gestão e (5) Comunicação e educação. Na manhã do último dia, ocorreram as mesas sobre “Educação e Comunicação” e sobre “Políticas Públicas, Desenvolvimento Territorial e Consumo Responsável”. A primeira trouxe reflexões sobre a educação para o consumo responsável a partir da discussão dos hábitos dos consumidores e a apresentação da Campanha Nacional de Comércio Justo e Solidário atualmente em construção pelo Faces do Brasil. A segunda contou com as experiências de produtores do Maciço do Baturité (CE) e dos GCRs RedeMoinho (Salvador – BA) e Rede Ecológica (Rio de Janeiro – RJ), nas articulações com PNAE v, CONSEAs vi, Fóruns de Economia Solidária e a Conferência Nacional de Economia Solidária. Como parte do fechamento das atividades, foi construído um plano de ação coletivo, que acordou a criação de uma Rede de Grupos de Consumo Responsável e levantou atividades a serem realizadas nas seguintes áreas: identidade; incidência em políticas públicas; informações/dados/conhecimento; difusão/comunicação/educação; produção; e ferramentas. Os presentes ficaram de levar esta proposta para seus grupos e instituições para definirem suas respectivas inserções na Rede. Ainda no encerramento foi feita uma avaliação coletiva do  encontro, propondo-se como base para as colocações e expressões dos participantes os aspectos “Que bom…”, “Que pena…” e “Que tal…?” Por fim, os participantes abraçaram-se em um grande círculo e concluiu-se com uma nova rodada de manifestações e expressões pessoais sobre o encontro. A equipe do Instituto Kairós agradece a participação e o comprometimento de todos e todas, que fizeram desse mais um importante momento no fortalecimento da economia solidária e do desenvolvimento rural sustentável em nosso país. São Paulo, 08 de setembro de 2011 i Foram os seguintes grupos, agrupados por estado: RS: Cooperativa GiraSol, Cooper EcoSol. SC: Compras Coletivas da Ilha, Triambakam. SP: ComerAtivaMente, Trocas Verdes, Rede de Produção e Consumo Responsável de Piracicaba, Grupo de Compras Coletivas de Botucatu. RJ: Rede Ecológica. MT: SISCOS. GO: ADAO-GO. BA: RedeMoinho. CE: Grupo de Consumidores Responsáveis do Benfica. ii ADE = Articulador de Dinamização Econômica. iii BSC = Base de Serviços de Apoio à Comercialização. iv SDT/MDA, MDA-SP, Cooperativa Vinculus, CTA/EPA, Cooperafloresta, APEMB, APAT, FBES, Faces do Brasil, NESOL-USP, Capina, Giramundo Mutuando e Preface Design. v PNAE = Programa Nacional de Alimentação Escolar. vi CONSEA = Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional.