Parceria entre Kairós e Artisans du Monde fortalecendo o consumo responsável há mais de 10 anos

A convite da Artisans du Monde, ONG que atua desde a década de 70 na promoção do comércio justo na França, o Kairós esteve mais uma vez presente no “Encontro Internacional de Educação para o Comércio Justo”, entre os dias 02 e 03 de fevereiro, representado pela coordenadora de projetos Juliana Gonçalves. A agenda incluiu outras articulações no campo do comércio justo e do consumo responsável.

inicial

Fruto dessa parceria, o “Manual Pedagógico: Entender para Intervir”, elaborado pelas duas instituições, promove a educação para o comércio justo e pretende proporcionar aos jovens uma leitura crítica da sociedade de consumo na qual estão inseridos.

Encontro Internacional de Educação para o Comércio Justo

O evento realizado em Paris, que está em sua 3a edição (anteriores em 2006 e 2013) contou com participantes locais e representantes de outros países como Senegal, Líbano, Peru, Portugal e Bélgica. Durante os dois dias de encontro, estiveram no centro do debate questões sobre os desafios da educação para o comércio justo, nas escolas e nos espaços públicos.

As diferentes perpecções da educação para o comércio justo e possibilidades de abordar o tema permearam todo o encontro. Uma das atividades expositivas forneceu dados sobre o problema da evasão escolar na França, na sequência os representantes dos países convidados apresentaram um breve panorâma sobre a situação da educação em seus respectivos contextos. No cenário brasileiro, foi destacada a situação precária em que se encontram escolas públicas e professores, a evasão escolar relacionada ao trabalho e à gravidez na adolescência e o recente movimento de escolas ocupadas por secundaristas no estado de São Paulo.

A programação aglutinou atividades expositivas, plenárias, grupos de trabalho, incluindo um momento de intervenção na rua. Na ocasião, os participantes podiam escolher entre diferentes propostas sugeridas pelos organizadores: realizar uma sensibilização com cartazes, próximo a uma estação de metro; organizar um flash mob, entre outras atividades visando promover o comércio justo nos espaços públicos.

espaco-publico

Final de Semana de Educação para a Cidadania e Solidariedade Internacional

O Kairós também esteve presente em outro importante evento, o “Final de Semana de Educação para a Cidadania e a Solidariedade Internacional”, de 05 a 07 de fevereiro. Trata-se de um final de semana de treinamento, organizado por quatro redes de educação CCFD, Ritimo, Starting Block, Artisans Du Monde, destinado a pessoas que queiram conhecer ou aperfeiçoar a organização de ações de educação à cidadania e solidariedade, entendidas como estratégias para promover mudanças de mentalidade e comportamento, a fim de contribuir individualmente e coletivamente para a construção de uma sociedade justa, inclusiva e sustentável. É um ato educativo e um ato político. As ações se orientam a partir de quatro pilares: escolha de metodologias ativas e participativas; acessibilidade e adaptabilidade das atividades; compreensão do outro e do mundo que nos cerca; engajamento e solidariedade entre os cidadãos.

wedsi

No decorrer do evento, os participantes puderam conhecer e praticar as diversas etapas de uma animação como preparação, divulgação, acolhida, ritmo, avaliação, entre outros. Prática e análise caminharam juntas, através da experimentação de diversos jogos desenvolvidos pelos organizadores. O final de semana contou ainda com uma roda de conversa sobre educação popular facilitada pela representante do Kairós. Foi apresentada uma breve contextualização sobre o tema no Brasil e alguns dos pressupostos promovidos pelo educador Paulo Freire em sua luta por uma educação onde os indivíduos fossem não apenas objeto mas também sujeitos da história.

Visita à AMAP
A
conexão entre Artisans du Monde e Kairós se desdobrou também no intercâmbio entre experiências de organização coletiva de consumidores, através de visita a uma AMAP – Association pour le Maintien d’une Agriculture Paysanne, iniciativa semelhante aos grupos de consumo responsável no Brasil. Atualmente existem cerca de 1600 AMAPs na França, envolvendo aproximadamente 50.000 famílias. O objetivo central das AMAPs é preservar a existência e a continuidade de agricultores em territórios vizinhos numa lógica de produção sustentável e comércio justo, através da parceria entre consumidores e produtores. Juntos, eles definem diversidade e quantidade de itens a serem produzidos. O preço da cesta é fixado de forma justa e permite ao produtor cobrir seus custos de produção e ganhar uma renda decente, sendo acessível para o consumidor. A “cota de produção” é adquirida pelos consumidores com antecedência, através de contrato prévio com duração de 1 ano. Quanto ao local de distribuição, pode ser a própria fazenda se os consumidores vivem em um perímetro próximo, ou uma base localizada na cidade. Para organizar a distribuição uma comissão de voluntários rotativa é formada entre os consumidores.

Confira a seguir o vídeo produzido pelo Kairós durante visita à AMAP.

Ao final dessa jornada, o Instituto Kairós agradece a recepção e o suporte oferecidos pelos parceiros e amigos da Artisans du Monde. Retornamos ao Brasil convictos de que o desafio da promoção do comércio justo e solidário no Brasil é enorme. Tanto para que os produtos sejam mais facilmente encontrados, quanto em sua dimensão educativa, para que as pessoas participem de maneira crítica e ativa na construção desse novo paradigma. E é nesse contexto que a educação para o consumo responsável se faz tão relevante. Matéria que deve ser amplamente desenvolvida entre jovens e adultos, nas escolas e nos espaços públicos, além de pauta incorporada por organizações que atuam em temáticas afins.todos-riece

Quanto mais popular for a discussão, quanto mais os diversos atores sociais se preocuparem com a história dos produtos disponíveis nas prateleiras (e em quais prateleiras estão disponíveis), mais expressivo será o número de cidadãos críticos e portanto consumidores responsáveis que valorizam os produtos da economia solidária e participam ativamente da construção de novos caminhos para a produção, a distribuição e consumo.


Texto: Juliana Gonçalves

Agradecimentos: Lise Trégloze, Hena Javaid, Erika Girault, Catalina Garcia
Fotos: Acervo Kairós e acervo Artisans Du Monde

Nenhum comentário

Deixe uma resposta


*