Rede Ecovida e Rede Brasileira de Grupos de Consumo Responsável estabelecem parceria

A comercialização e a produção agroecológicas articuladas com o consumo responsável buscando sua populariazação e acessibilidade é um desafio de longa data para as iniciativas deste tipo. Um pequeno grande passo foi dado nessa direção com um encontro entre representantes da Rede Ecovida de Agroecologia e da Rede Brasileira de Grupos de Consumo Responsável, entre os dias 5 a 7 de dezembro, em Curitiba e Bocaiúva do Sul (PR).

Buscando esta articulação para aproximar práticas produtivas e políticas sintonizadas com a agroecologia e a economia solidária, a programação da atividade contou com a visita a feiras orgânicas de Curitiba, que mostrou a grande variedade de produtos vendidos diretamente pelos agricultores a preços acessíveis, e também com debates quando foram discutidos os diversos desafios para produção e comercialização justa e solidária, como os processos de certificação participativa, o acesso aos mercados (institucionais, convencionais e solidários) e os desafios para que o consumo de produtos sem agrotóxicos e exploração sejam acessados pela população de baixa renda e não apenas por uma classe média com maior poder aquisitivo. Nesse tema, para além do consumo popular, o desafio colocado foi de trabalhar não só o acesso a produtos, mas a politização de mais pessoas e seu envolvimento na relação entre as questões rurais e urbanas, como na reforma agrária, saúde, agroecologia e economia solidária.

Participantes do encontro na chácara da família Marfil

Participantes do encontro na chácara da família Marfil

A Rede Ecovida já vem estabelecendo iniciativas para o acesso ao mercado de São Paulo, tendo um primeiro entreposto em Pirituba, na capital. Também presente na reunião, a experiência do Instituto Chão na comercialização de produtos com preço justo na capital possibilitou uma nova chave sobre a distribuição em escala de uma grande variedade de produtos com preços acessíveis. Para além do reconhecimento mútuo e troca de experiências entre os participantes, o encontro teve como principal encaminhamento a articulação para ampliar a experiência aumentando na capital paulista a oferta popular de produtos agroecológicos com preço justo, com menos intermediários até o consumidor final, a partir da parceria entre a Rede Ecovida, Instituto Chão e Rede Brasileira de Grupos de Consumo Responsável. A iniciativa ousada, no coração do centro financeiro do país, poderá contar com outros produtos agroecológicos da região paulista e também abastecer as iniciativas dos Grupos de Consumo Responsável.

O encontro foi realizado na chácara agroecológica da família Marfil e contou com representantes do Instituto Kairós, articulador do encontro por meio de projeto com a Senaes/MTPS; Grupo Sabugueiro e Estação São Paulo, integrantes da Rede Ecovida; Associação dos Consumidores de Produtos Orgânicos do Paraná (ACOPA); Instituto Chão, Rede Ecológica-RJ, Rede Guandu-SP e CCRU-SOLO-SP, integrantes da Rede Brasileira de Grupos de Consumo Responsável.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

*